CONHEÇA OS BENEFÍCIOS DA TERAPIA ASSISTIDA POR ANIMAIS (TAA)

Imaage: CONHEÇA OS BENEFÍCIOS DA TERAPIA ASSISTIDA POR ANIMAIS (TAA)

A Terapia Assistida por Animais (TAA) tem conquistado uma posição de destaque como uma abordagem terapêutica verdadeiramente inovadora, capaz de oferecer uma ampla gama de benefícios para pacientes que enfrentam diversas condições cognitivas, sociais e emocionais. Neste artigo, mergulharemos mais profundamente na fascinante prática da TAA, explorando os inúmeros benefícios que ela proporciona e como esses impactos podem transformar radicalmente a jornada de recuperação dos pacientes. Prepare-se para descobrir como a conexão entre humanos e animais pode abrir portas para novas possibilidades terapêuticas e oferecer uma fonte renovada de esperança e cura.

Qual é o objetivo da TAA?

A Terapia Assistida por Animais (TAA) não é apenas uma forma convencional de terapia; ela representa uma abordagem inovadora e holística para o tratamento de pacientes em diversos contextos de saúde. O que torna a TAA tão especial é a sua capacidade de empregar a presença e a interação com os animais como ferramentas terapêuticas poderosas, capazes de promover mudanças significativas na saúde e no bem-estar dos indivíduos.

Segundo a renomada veterinária e mestre em Comportamento Animal, Rita Ericson, a TAA oferece uma versatilidade incomparável. Desde simples visitas de animais até intervenções mais diretas e personalizadas, como atividades físicas e emocionais, essa modalidade terapêutica pode ser adaptada de diversas formas para atender às necessidades específicas de cada paciente.

Imagine uma criança hospitalizada recebendo a visita de um cão terapêutico durante seu tratamento. A simples presença desse animal pode proporcionar conforto, distração e alegria, transformando a experiência do paciente e contribuindo para sua recuperação. Ou considere o caso de um idoso em reabilitação que participa de uma sessão de fisioterapia interativa com um cachorro. Ao realizar exercícios de escovação e interagir com o animal, o paciente não apenas melhora sua mobilidade e coordenação, mas também experimenta uma sensação de conexão e propósito.

Além disso, a TAA não se limita apenas ao ambiente clínico. Ela pode ser aplicada em uma variedade de configurações, incluindo escolas, asilos, centros de reabilitação e até mesmo ambientes de trabalho. Essa flexibilidade permite que a terapia alcance uma ampla gama de pessoas, desde crianças com autismo até adultos em recuperação de traumas emocionais.

Quais são os benefícios da Terapia Assistida por Animais?

Na vanguarda da medicina e terapia modernas, a Terapia Assistida por Animais (TAA) tem sido reconhecida como uma ferramenta eficaz para promover a recuperação e o bem-estar dos pacientes. Ao integrar a presença e interação com animais nos planos de tratamento, a TAA oferece uma série de benefícios que transcendem as abordagens terapêuticas tradicionais. Vamos explorar mais detalhadamente os benefícios específicos que essa modalidade terapêutica única pode oferecer:

Melhoria Física: Estimulando o movimento e a mobilidade

A interação com animais durante a TAA pode desencadear uma série de benefícios físicos para os pacientes. Ao participar de atividades interativas, como acariciar, alimentar ou até mesmo caminhar com um animal, os pacientes são estimulados a se moverem, promovendo a mobilidade, coordenação e força muscular. Essa estimulação motora pode ser especialmente benéfica para pacientes em reabilitação física, como os que estão se recuperando de lesões ou cirurgias, ajudando-os a recuperar a funcionalidade e independência perdidas.

Bem-estar emocional: Redução de estresse e ansiedade

A presença reconfortante de animais durante as sessões de TAA pode desempenhar um papel significativo na redução do estresse e ansiedade dos pacientes. Estudos mostram que a interação com animais pode desencadear a liberação de hormônios associados ao bem-estar, como a oxitocina e a serotonina, que têm efeitos calmantes e tranquilizantes. Para pacientes que enfrentam condições de saúde mental, como depressão ou transtorno de estresse pós-traumático, essa conexão emocional com os animais pode fornecer um suporte valioso durante o processo de recuperação, ajudando-os a encontrar conforto e estabilidade emocional em momentos difíceis.

Desenvolvimento Social: Facilitando a comunicação e a interação social

Além dos benefícios físicos e emocionais, a TAA também pode desempenhar um papel crucial no desenvolvimento social dos pacientes. A presença de animais durante as sessões terapêuticas cria um ambiente acolhedor e não ameaçador, que pode facilitar a comunicação e promover o desenvolvimento de habilidades sociais. Para crianças com autismo, por exemplo, a interação com animais pode ajudar a melhorar a comunicação verbal e não verbal, incentivando-as a se expressarem de maneiras que talvez não conseguissem em outras situações. Ademais, a presença de animais também pode aumentar a autoestima dos pacientes, criando um senso de conexão e pertencimento que é fundamental para o seu bem-estar emocional e social.

Uma de nossas professoras (Erika Pallottino) foi destaque em uma matéria do portal O Globo, leia a matéria aqui.

Erika Pallottino é psicóloga e fundadora do Instituto Entrelaços. Ela é coordenadora do Curso de Capacitação em Terapia da Dignidade no Instituto Paliar.

Quer conhecer mais sobre o curso? Clique aqui.

Você sabia que recentemente implementamos a Terapia Assistida com Animais em uma de nossas atividades acadêmicas no Instituto Paliar?

No último OSCE (Objective Structured Clinical Examination), o adorável cachorro Alfredo foi uma presença reconfortante para nossos alunos veterinários em pós-graduação em cuidados paliativos. Sua presença teve um propósito crucial: acalmar os alunos após um momento tenso de prova. Mas Alfredo não foi apenas um convidado; ele também desempenhou um papel fundamental como paciente nos exames práticos com os alunos.

Gostaria de entender a importância dos Cuidados Paliativos na Medicina Veterinária? Clique aqui.

Essa iniciativa não apenas proporcionou um ambiente mais relaxado e acolhedor durante as avaliações, mas também destacou os benefícios terapêuticos da interação homem-animal. Estamos muito orgulhosos de integrar essa prática inovadora em nossa abordagem educacional no Paliar.

Falando um pouco sobre o OSCE

O OSCE é um método de avaliação que consiste em estações de avaliação padronizadas, onde os alunos precisam passar por uma série de cenários clínicos simulados. Em cada estação, os alunos são avaliados em habilidades específicas, como história clínica, exame físico, habilidades de comunicação, tomada de decisão clínica e procedimentos práticos.

A importância do OSCE na avaliação dos alunos reside em sua capacidade de fornecer uma avaliação justa, objetiva e padronizada das habilidades clínicas e do desempenho dos alunos. Ao contrário de avaliações teóricas ou testes escritos, o OSCE permite que os alunos demonstrem suas habilidades práticas em situações clínicas simuladas, o que é crucial para a formação de profissionais de saúde competentes.

O OSCE é uma prática de avaliação presente nos cursos de pós-graduação em Cuidados Paliativos do Instituto Paliar. O Paliar preza pela inovação e aprimoramento dos programas acadêmicos, a fim de formar os melhores profissionais paliativistas.

Confira o depoimento da Diretora Pedagógica do Instituto Paliar, Dra. Dalva Yukie Matsumoto, a respeito da sua visão sobre o método de avaliação dinâmico e inovador chamado Objective Structured Clinical Examination.

Criado por Pedro Accorsi
Image
Estagiário de Comunicação do Instituto Paliar, é estudante de Jornalismo na Escola Superior de Propaganda e Marketing.